Referências Bibliográficas sobre Rock, Metal e relacionados.

ABRAMO, Bia. Rock made in Brasil. Revista Teoria e Debate número 32. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 1996.
PDF

ÁBRAMO, Helena Wendel. Cenas juvenis: Punks e Darks no Espetáculo Urbano. São Paulo: Scritta, 1994.

ALEXANDRE, Ricardo. Dias de luta: o rock e o Brasil dos anos 80. São Paulo: D&A Artes gráficas, 2002.

ALEXANDRE, Ricardo. Um conto de duas cidades. Revista história do rock brasileiro: anos 70. São Paulo: Editora Abril, 2004.

ALZER, Luiz André; MARMO, Hérica. A vida até parece uma festa: toda a história dos Titãs. Rio de Janeiro, Editora Record, 2005.

AMBROSE, Joe. The violent world of mosh pit culture. Kindle edition. London: Omnibus Press, 2001.

ANDRADA, Lúcia Vulcano de. We who are not as others: Análise das noções de violência no mosh a partir do heavy metal. 2013.115 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós- Graduação em Música,Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.
PDF

ANDRÉA et ali. Mulheres do rock: o rock do DF sob o ponto de vista feminino. Distrito Federal: Zine Oficial, Ossos do Ofício, 2010.
PDF

ANTONIETO, Thiago. O inventor do peso no heavy metal. In: Cover Guitarra, n.120. São Paulo:HMP Editora, dez.2004. p. 42-50.

ARNETT, J.. Heavy Metal Music and Reckless Behavior Among Adolescents. Journal of Youth and Adolescence. Volume 20, n. 06, pp. 573 – 592, 1991.

ARNETT, J.. Metalheads: heavy metal music and adolescent alienation. Boulder: Westview Press, 1996.

ATTALI, Jacques. Noise: the political economy of music. Minneapolis: The University of Minnesota Press, 2003.

AVELAR, Idelber. De Mílton ao Metal: política e música em Minas. ArtCultura: Revista de História, Cultura e Arte do Instituto de História e do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, n.9, jul-dez, 2005. p 26- 37.

AVELAR, Idelber. De Mílton ao Metal: política e música em Minas. In: Anais do V Congresso Latino-americano da Associação para o Estudo da Música Popular – IASPM-LA. Rio de Janeiro, 2004.

AVELAR, Idelber. Defeated Rallies, Mournful Anthems, and the origins of Brazilian Heavy Metal. In: DUNN, C.; PERONE, C..Brazilian popular music & globalization. Gainsville: University of Florida Press, 2001.

AVELAR, Idelber. Figuras da violência: Ensaios sobre narrativa, ética e música popular. – Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011, 268p.

AVELAR, Idelber. Heavy Metal Music in Postdictatorial Brazil: Sepultura and the Coding of Nationality in Sound. Journal of Latin American Cultural Studies, Oxford, vol. 12, n.3, p.329-346, 2003.

AVELAR, Idelber. O manguebeat e a superação do fosso entre o nacional e o jovem na música popular.
PDF

AVELAR, Idelber. Otherwise National: locality and power in the art of Sepultura. In: Metal Rules the Globe: Heavy Metal Music Around the World. WALLACH, Jeremy; GREEN, Paul, and BERGER, Harris. Londres: Duke University Press, 2011. p. 135-160

ÁVILA, Alisson; BASTOS, Cristiano; MÜLLER, Eduardo. Gauleses Irredutíveis: Causos e Atitudes do Rock Gaúcho. Porto Alegre: Editora Sagra-Luzzatto, 2002.

AZEVEDO, Cláudia Souza Nunes de. É para ser escuro! - codificações do Black Metal como gênero audiovisual. 2009. 239f. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Música, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

AZEVEDO, Cláudia. Fronteiras do Metal.
PDF

AZEVEDO, Cláudia. Metal in Rio de Janeiro 1980’s-2008: An Overview: T. In. SCOTT, Niall W. R.; HELDEN, Imke Von. The Metal Void: First Gatherings. Oxford: Inter-Disciplinary Press, 2010. p. 331-340.(?)

AZEVEDO, Cláudia. Subgêneros do metal no Rio de Janeiro a partir da década de 1980. Cadernos do colóquio. 2004-2005.
PDF

BADDELEY, Gavin (1999, 2006). Lucifer Rising – sin, devil worship & rock’n’roll. London: Plexus Publishing Limited.

BAHIANA Ana Maria. Importação e assimilação: rock, soul, discotheque. In: NOVAES, Adauto (org.) Anos 70: Ainda sob a tempestade. Rio de Janeiro: Aeroplano; Editora Senac Rio, 2005a. p. 53-59.

BAHIANA Ana Maria. Inocente desobediência civil. In: CARVALHO FILHO, Ibanez de et al. Rock: a música do século XX. v. 1. Rio de Janeiro: Rio Gráfica Editora, 1983. p. 143-144.

BANDEIRA, Messias. Underground digital no Brasil: a música nas trincheiras do ciberespaço. Dissertação de mestrado. Facom/UFBa, 1999.

BARCINSKI, André; GOMES. Silvio. Sepultura: toda a história. São Paulo: Editora 34, 1999.

BARROS, Patrícia. “Provocações brasileiras”: A imprensa contracultural made in Brazil –Coluna Underground (1969-1971), Flor do Mal (1971) & a Rolling Stone Brasileira (1972-1973). Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Assis, 2007.

BAUGH, Bruce. Prolegômenos a uma Estética do Rock. Novos Estudos CEBRAP, São Paulo: CEBRAP, n. 38, 1994.

BAULSH, Emma. Gesturing elsewhere: the identity politics of the Balinese Death/Thrash Metal scene. Popular Music. Volume 22, n. 02, pp. 195 – 215, 2003.

BENEVIDES, Márcio Fonseca. Aspectos ético, estéticos e socioculturais do fazer rock em Fortaleza-CE: resistência e desterritorialização. In: Experiências musicais. Fortaleza: Prefeitura Municipal de Fortaleza – PMF/EdUECE, 2008, pp. 174-187. Francisco José Gomes Damasceno, Amaudson Ximenes Veras Mendonça (orgs.).

BENEVIDES, Márcio Fonseca. Dos Subterrâneos aos Holofotes: os nomadismos do rock fortalezense. Dissertação (Mestrado em Sociologia), Universidade Federal do Ceará, 2008.

BENNET, Andy (org.) (2004), Music Scenes. Local, Translocal, and Virtual, Nashville: Vanderbilt University Press.

BENNET, Andy. As youth as you feel. In. HODKINSON, Paul; DEICKE, Wolfgang. Youth subcultures: scenes, subcultures and tribes. Nova York: Taylor & Francis Group, 2007.

BENNET, ANDY. Cultures of popular music. Buckingham: Open University Press, 2001

BENNET, Andy. Subcultures or neo-tribes? Rethinking the relationship between youth, style and musical taste. Sociology. vol. 33, n°3 1999.

BENNETT, Andy. Popular Music and Youth Culture: music, identity and place. Cidade: McMillian Press,2000.

BERGER, Harris M.. The Practice of Perception: Multi-Functionality and Time in the Musical Experiences of a Heavy Metal Drummer. Ethnomusicology, Vol. 41, No. 3 (Autumn, 1997), pp. 464-488. Stable URL: http://www.jstor.org/stable/852760
PDF

BERGER, Harris. Death Metal and the Act of Listening. Popular Music, vol. 18, no. 2, pp. 161-179, 1999.

BERGER, Harris. Metal, Rock and Jazz: Perception and the Phenomenology of Musical Experience. Hannover, London: Wesleyan Univesity Press, 1999. Pag. 08-21.
ODT PDF

BEZERRA, Amilcar Almeida; FERREIRA, Daniela Maria Ferreira; LA BARRE, Jorge de; GADELHA, Wilfred. Metal além da Capital: música pesada no Interior de Pernambuco. Relatório Final do Projeto de Pesquisa Cultural no 346/11, novembro de 2012 . Fundarpe, Funcultura.
PDF

BEZERRA, Amilcar Almeida; FERREIRA, Daniela Maria Ferreira; LA BARRE, Jorge de; GADELHA, Wilfred. Transformações: a cena metal no Recife “pós-mangue”. Relatório Final do Projeto de Pesquisa Cultural no 124/09, Maio/2011. Fundarpe, Funcultura.
PDF

BEZERRA, Amilcar Almeida; FERREIRA, Daniela Maria Ferreira; LA BARRE, Jorge de. Detonando as fronteiras: notas sobre a formação de uma cena Metal na cidade do Recife. Anais do XXXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Recife, PE – 2 a 6 de setembro de 2011.
PDF

BEZZI, M. O maior espetáculo da Terra. BIZZ – A História do Rock – vols. 4 & 5 – 1980/2005. São Paulo: Editora Abril, 2005.

BIVAR, A. O que é punk. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1988.

BOBINEAU, Olivier. La musique metal : sociologie d'un fait religieux . Sociétés, Paris, n.88, p. 93-102. 2o sem. 2005

BRACKETT, David. Interpreting Popular Music. Berkeley / Los Angeles / London: University of California Press, 1995.

BRANDINI, Valéria. Cenários do rock: mercado, produção e tendência no Brasil. São Paulo: Olho d’Água, 2004.

BREEN, Marcus. A Stairway to Heaven or a Highway to Hell? Heavy Metal Rock Music in the 1990s. Cultural Studies. Volume 05, n.02, pp. 191 – 203, 1990.

BRILL, Dunja. Gender, status and subcultural capital in the goth scene. In. HODKINSON, Paul; DEICKE, Wolfgang. Youth subcultures:scenes, subcultures and tribes. Nova York: Taylor & Francis Group, 2007.

BRITTO, Paulo Henriques. “A temática noturna no rock pós-tropicalista”. In Da Bossa Nova à Tropicália. Rio de Janeiro, FAPERJ/Relume Dumará, 2003.

BROWN, Andy R. Everthing louder than everything else: the contemporary metal music magazine and its cultural appeal. Journalism studies, vol.8, n. 4. Cardiff 2007, p.643-655.

BROWN, Andy R. Heavy metal and subcultural theory: a paradigmatic case of neglect?. In. MUGGLETON, David; WEINZIERL, Rupert. The Post-subcultures Reader. Nova York: Berg, 2003. p.209-222.

BROWN, Andy R. Rethinking the subcultural commodity: the case of heavy metal t-shirt culture(s). In. HODKINSON, Paul; DEICKE, Wolfgang. Youth subcultures. Nova York: Taylor & Francis Group, 2007. p.63-78

BROWN, Andy R. The Importance of Being Metal: the metal music tabloid and youth identity construction. In. SCOTT, Niall W. R.; HELDEN, Imke Von. The Metal Void: First Gatherings. Oxford: Inter-Disciplinary Press, 2010. p. 105-134.

BROWN, Andy R. The speeding bullet, the smoking gun: tracing metal trajectories, form Sabbath to Satyricon. In: BORWN, Andy R.; FELLEZS, Kevin( ed). Heavy metal generations. Oxford (ING): Inter-Disciplinary press, 2012. p. 3-14.

BUKSZPAN, Daniel. The encyclopedia of heavy metal. Nova York:Sterling Publishing Co., 2003.

CAIAFA, J. Movimento punk na cidade: a invasão dos bandos sub. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 1985.

CALADO, Carlos. A divina comédia dos Mutantes. São Paulo: Editora 34, 1995.

CALADO, Carlos. Tropicália: a história de uma revolução musical. São Paulo: Editora 34, 1997.

CAMPOY, Leonardo C. Trevas na cidade: o underground do metal extremo no brasil. Dissertação (mestrado). Programa de Pós-graduação em Sociologia e Antropologia – PPGSA, do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2008

CAMPOY, Leonardo Carbonieri. Esses camaleões vestidos de noite: uma etnografia do underground Heavy Metal. Sociedade em Estudos, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 37-50, 2006.
PDF

CAMPOY, Leonardo Carbonieri. Trevas sobre a luz: O Underground do Heavy Metal Extremo no Brasil. São Paulo: Alameda, 2010. 320p.

CANEVACCI, Massimo. Culturas Extremas – mutações juvenis nos corpos das metrópoles. Tradução de Alba Olmi. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

CARDOSO FILHO, Jorge . Caos, peso e celebração: uma abordagem do Heavy Metal a partir da noção de gênero mediático. Anais do XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. UERJ, 5 a 9 de setembro de 2005.
PDF

CARDOSO FILHO, Jorge. Afeto na análise dos grupamentos musicais. Revista ECO-PÓS, Rio de Janeiro: UFRJ, volume 07, n. 02, 2004.

CARDOSO FILHO, Jorge. Música popular massiva na perspectiva mediática: estratégias de agenciamento e configuração empregadas no heavy metal. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Comunicação, 2006.
PDF

CARDOSO FILHO, Jorge. O sentido do Heavy Metal: por uma analise material da música da banda soteropolitana Malefactor. 2004. 63 f. Monografia (Graduação em Comunicação) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

CARDOSO FILHO, Jorge. Poética da música underground: vestígios do heavy metal em Salvador. Rio de Janeiro: Ed. E-papers, 2008.

CARDOSO, Diogo da Silva. Etnogeografia do underground cristão brasileiro: concentração e dispersão das Tribos em nome do Senhor. 2011. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual do Rio de Janeiro, 2011.

CARDOSO, Diogo da Silva. Guerreando em nome do Senhor: sobre o underground cristão e evangélico no Brasil, suas territorialidades e o exemplo do grupo Metanoia (RJ). In: Revista Brasileira de História das Religiões. v. 1 n. 3, 2008.

CARDOSO, Letícia; “Reflexões sobre o estudo de grupos juvenis urbanos: o pedaço das categorias e a categoria do pedaço.” In: Revista Intratextos, 2014, vol 5, no 1, p. 46-70. DOI: http://dx.doi.org/10.12957/intratextos.2014.10434.
PDF

CARMO, Paulo Sérgio do. Culturas da Rebeldia. São Paulo: Senac, 2001.

CARNEIRO, Luiz Felipe. Rock in Rio: A historia do maior festival de música do mundo. São Paulo: Editora Globo, 2011.

CARVALHO FILHO, Ibanez de et al. Rock: a música do Século XX. Rio de Janeiro: Rio Gráfica Editora, 1983. 2 v.

CARVALHO, Luiz Felipe da Silva,. Passado e Presente Headbanger em Belém (PA): Características e simbologia.TCC, UFPA. Belém.2006.

CASTRO, Cid. Metendo o Pé na Lama: Os bastidores do rock in Rio de 1985. 2. Ed: janeiro 2010.

CASTRO, Wagner. IV Festival da Música Popular do Ceará. In: ForCaos: muito além do sexo, drogas e rock and roll. Música(s), Cultura(s) e Contemporaneidade (s) Juveni(I)s. Fortaleza: EdUECE, 2007, pp. 95-107. Francisco José Gomes Damasceno, Amaudson Ximenes Veras Mendonça (orgs.).

CAUDURO, Mauricio Rodrigues. Como uma pedra rolante: contribuição ao estudo de análise de conteúdo da edição brasileira da revista Rolling Stone. Conclusão de curso (Graduação) -- Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Curso de Comunicação Social: Jornalismo, Porto Alegre, BR-RS, 2014.
PDF

CHACON, P. O que é Rock. Coleção primeiros passos. São Paulo: Brasiliense. 1989.

CHAPPLE, S. e GAROFALO, R. Rock and Roll is Here to Pay: the History and Politics of the Music Industry. Chicago: Nelson-Hall, 1977.

CHAPPLE, Steve; GAROFALO, Reebee. Rock & Indústria: história e política da indústria musical. Lisboa: Editorial Caminho, 1989.

CHRISTE, Ian. Heavy Metal- a História Completa; tradução Milena Durante e Augusto Zantoz – São Paulo: Arx, Saraiva, 2010.

CLOONAN, Martim; JOHNSON, Bruce. Dark side of the tune: popular music and violence. EUA: Ashgate Publish Company, 2009.

COELHO, Patrícia Rodarte Silva Gomes. Batendo cabeças: educação estética e política tecidas a partir do Heavy Metal. Dissertação (mestrado) –Universidade do Estado de Minas Gerais, Programa de Pós-Graduação em Educação.
PDF

COHEN, Sara. 1991. Rock Culture in Liverpool: Popular Music in the Making. Oxford: Oxford University Press.

CONTIER, Arnaldo Daraya; FISCHER, Catarina Justus Fischer; FABRÍCIO, Fabrício; CARVALHO, Vera A. Assumpção Tavares de. O movimento tropicalista e a revolução estética. Cad. de Pós-Graduação em Educ., Arte e Hist. da Cult. São Paulo, v. 3, n. 1, p. 135-159, 2003.
PDF

CORDEIRO, Domingos Sávio, LIMA, Cícera Andrade F. de, PEREIRA, Cláudio Smalley S. Identidade metaleira na construção de um espaço social na região do Cariri. In: Observatorium: Revista eletrônica de Geografia, v. 2, n. 5, pp. 21-38, nov. 2010.

CORRÊA, Tupã G. Rock, nos Passos da Moda. Mídia: Consumo X Mercado. Campinas, Papirus, 1989.

COSTA, Márcia Regina da. Os “carecas do subúrbio”: caminhos de um nomadismo moderno. Rio de Janeiro: Vozes, 1990.

COSTA, Márcia Regina da. Os Carecas de Cristo e as Tribos Urbanas do Underground Evangélico. In: PAIS, José Machado, BLASS, Leila Maria da Silva. (Org.). Tribos Urbanas: Produção Artística e Identidades. São Paulo: Annablume, 2004. pp. 43-69.

COSTA, Márcia Regina da. Tribos Urbanas, Comunidade Zadoque e os Carecas de Cristo. In: BERNARDO, Terezinha, TÓRTORA, Silvana. (Org.). Ciências Sociais na atualidade: percursos e desafios. São Paulo: Cortez Ed., 2004. pp. 241-258.

CROCKER, Chris. Metallica: The frayed ends of metal. Madrid: Cátedra, 1997.

CROOK, Larry. Turned-Around Beat: Maracatu de Baque Virado and Chico Science. In: PERRONE, Charles A.; DUNN, Christopher (Ed.). Brazilian Popular Music and Globalization. Gainesville: University Press of Florida, 2001, p. 233-244.

CROSS, Charles R. Mais pesado que o céu: uma biografia de Kurt Cobain. Tradução: Cid Knipel. São Paulo: Globo, 2002.

DA SILVA, Bernard Arthur. “Metal City”: Apontamentos sobre a história do Heavy Metal produzido em Belém do Pará (1982 – 1993). Monografia (Graduação em História) – Universidade Federal do Pará, 2010.

DABLE, Felipe Figueiras. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Música.
PDF

DANTAS, Danilo Fraga. A Prateleira do Rock Brasileiro: uma análise das estratégias midiáticas utilizadas nos discos de rock brasileiro nas últimas cinco décadas. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas. Salvador: FACOM/UFBA, 2007.
PDF

DANTAS, Danilo Fraga. O beat e o bit do rock brasileiro: internet, indústria fonográfica e a formação de um circuito médio para o rock no Brasil. Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação – Compos. Universidade Federal da Bahia (UFBA). 2007.

DANTE, P. Coluna Vovó cuspiu na cruz: Rock e metal são a mesma coisa? Rio Metal works, 2005. Disponível em: < http://www.riometalworks.com > Acesso em: 28 jun.05.

DAPIEVE, Arthur e VALLADARES, Maurício. Os Paralamas do Sucesso. Rio de Janeiro, Senac editora, 2006.

DAPIEVE, Arthur. BRock: o rock brasileiro dos anos 80. São Paulo: Editora 34, 1995.

DAPIEVE, Arthur. Renato Russo: o tovador solitário. Rio de Janeiro: 2004.

DHEIN, Gustavo. A besta que se recusa a morrer: identidade, mídia, consumo e resistência na subcultura heavy metal. Dissertação (mestrado) – Faculdade Cásper Líbero, Programa de Mestrado em Comunicação
PDF

DOLABELA, Marcelo. ABZ do rock brasiliense. São Paulo: Estrela do Sul Editora, 1987.

DUARTE, R. J. Underground In NETO, M. J. de S. (org). A [des]construção da Música Paranaense. Curitiba: aos quatro ventos. 2004.

DUNN, Christopher. Brutalidade jardim: a tropicália e o surgimento da contracultura brasileira. Unesp.

DUNN, Christopher. Brutality garden: tropicália and the emergence of a Brazilian counterculture. Chapell Hill: University of North Carolina Press, 2001.

DURING, Simon (Ed.). The cultural studies reade. 2 ed. New York:Routledge, 1999.

EARL, Benjamin. Metal Goes ‘Pop’: The Explosion of Heavy Metal into the Mainstream. In: BAYER, Gerd (ed.) Heavy Metal Music in Britain. Farnham (ING): Ashgate, 2009. 201 p.

EPSTEIN, J. S., PRATTO, D. J., SKIPPER, J. K. Teenagers, Behavioural Problems, and Preferences for Heavy Metal and Rap Music: A Case Study of a Southern Middle School. Deviant Behaviour. Volume 11, pp. 381–394, 1990.

ESSINGER, Silvio. Punk: anarquia planetária e a cena brasileira. São Paulo: Editora 34, 1999.

FARLEY, Helen. Demons, Devils and Witches: The Occult in Heavy Metal Music. In: BAYER, Gerd (ed.) Heavy Metal Music in Britain. Farnham (ING): Ashgate, 2009. 201 p.

FAVARETTO, Celso. Tropicália alegoria alegria. 3a. Ed. Cotia, São Paulo: Ateliê Editorial, 2000.
PDF

FEITOSA, Ricardo Augusto de Sabóia. Jovens em transe: grupos urbanos juvenis da contemporaneidade, conceitos e o underground. Anais do Intercom 2003.

FEIXA, Carles. De las bandas a las culturas juveniles. Estudios sobre lãs culturas contemporâneas. v.5, n.15, p 139-170.

FERNANDES, Bruno Luiz Gutierrez Prieto; FERREIRA, Diana Gonçalves; FERREIRA, Paulo Ricardo DiGregorio; LIMA, Vinicius Eugênio Milani e LUTUVINO, Gabriel Ferraz Tedesco. Rock Brazuca – Uma viagem no tempo aos anos 80. Universidade Santa Cecília, Santos, SP. 2009.

FERRARI, Elisa. Na luz de Olinda: authenticity and hybridity in Brazilian popular music. 2008. Dissertação (Mestrado em Etnomusicologia) – University of Texas at Austin, 2008.

FERREIRA, Fábio Gonçalves de Carvalho; LUCENA, Giselle Xavier d Ávila. Morte ao falso Metal: Roko-Loko e a identidade headbanger na revista Rock Brigade. Revista Observatório da Diversidade Cultural, Volume 3, No1 (2016).
PDF

FERRI, René. ALICE, Maria. 40 Anos de Rock: Período Pré-Jurássico (1955-1961). Ed.34.

FIUZA, Alexandre; ATAIDE, Antonio Marcio; LACOWICZ, Stanis David. Caderno de resumos do II Congresso Internacional de Estudos do Rock. Cascavel, PR: UNIOESTE, 2015.
PDF

FLOECKHER, Richard J. Fuck euphemismus: how heavy metal lyrics speak the truth about war. SCOTT, Niall, HELDEM, Imke von. (ed). The Metal Void: First Gatherings. Inter-disciplinary press: Oxford, 2010. p. 233-244.

FONSECA, Gracielle. Mulheres no metal. 2012. 1 disco digital versátil (23:59 min.): DVD, son., color.

FRANÇA, Jamari. Os Paralamas do Sucesso: vamo bate lata. São Paulo: Editora 34, 2003.

FRANS, Elton. Raul Seixas: a história que não foi contada. Irmãos. São Paulo: Vitale Editores, 2000.

FRANZIN, R. A cena black metal carioca – o inferno na Terra – Heavy Metal Brasil. Disponível em: . Acesso em: 29 mai. 2005.

FREIRE FILHO, João. Das subculturas às pós-subculturas juvenis: música, estilo e ativismo político. Contemporânea: Revista de Comunicação e Cultura. Salvador, v.3, no. 1. 2005.

FRIEDLANDER, PAUL. Rock and Roll: Uma História Social. Tradução de A. Costa. 4o ed, RJ: Record, 2006.

FRIESEN, B., EPSTEIN, J.. Rock ́n ́Roll Ain ́t Noise Pollution: artistic conventions and tensions in the major subgenres of Heavy Metal music. Popular Music and Society. Volume 18, n. 03, pp. 01 – 17, 1994.

FRITH, S. Towards an aesthetic of popular music. In: LEPPERT, R; McCLARY, S. (Org) Music and Society: The politics of composition, performance and reception. Cambridge University Press, 1987.

FRITH, Simon. Performing rites: on the value of popular music . Cambridge: Harvard University Press, 1996.

FRITH, Simon. Sound effects: youth, leisure and the politics of rock’n’roll. New York: Pantheon Books, 1981.

FRITH, Simon. The popular music industry. The Cambridge Companion to Pop and Rock.

FROES, Marcelo. Jovem guarda: em ritmo de aventura. São Paulo: Editora 34, 2000.

FROTA, Joana Strunz da. Análise da cobertura jornalística impressa dos eventos de heavy metal de Frederico Westphalen. Artigo científico apresentado ao Curso de Comunicação Social – Jornalismo como requisito para aprovação na Disciplina de TCC I. Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Educação Superior Norte – RS, Departamento de Ciências da Comunicação, Curso de Comunicação Social – Jornalismo, 2012.
PDF

GAFAROV, Igor. Metal Community and Aesthetics of Identity. In: HILL, Rosemary; SPRACKLEN, Karl (ed.). Heavy Fundamentalisms: Music, metal & politics. Oxford: Inter-Disciplinary Press, 2010.

GALINSKY, Philip. 2002. ‘Maracatu atômico’ [Atomic Maracatu]. In Tradition, Modernity, and Postmodernity in the Mangue Movement of Recife, Brazil. New York: Routledge.

GALINSKY, Phillip. Maracatu Atomico: Tradition, Modernity, and Postmodernity in the Mangue Movement and the "New music scene" of Recife, Pernambuco

GALVÃO, Luiz. Anos 70: novos e baianos. Rio de Janeiro: Editora 34, 2000.

GATTO, Vinicius Delangelo Martins. Rock Progressivo e Punk Rock: Uma análise sociológica da mudança na vanguarda estética do campo do rock. Universidade de Brasília, DF, 2011. Disponível em: - Acessado em 01/02/2012

GELDER, Ken; THORNTON, Sarah. The subcultures reader. London: Routledge, 1997.

GILBERTI, Eva. Hijos de del rock. Buenos Aires, Editora Losada, 1996.

GLIGORIJEVIC, Jelena. The global and the local in Max Cavalera’s music projects. Etnomusikologian vuosikirja, Turku (Finlândia), v. 23, p 140 – 164. 2011.

GLOBAL METAL. Produção e direção de Sam Dunn. Empresa: Cidade, 2008. 1 disco digital versátil ( 95 min.), DVD, son., color.

GOFFI, Guto; NEVES, Ezequiel; RODRIGO, Pinto. Barão Vermelho: porque a gente é assim. São Paulo: Editora Globo, 2007.

GROPPO, Luís Antonio. Gênese do rock dos anos 80 no Brasil: ensaios, fontes e o mercado juvenil. Música Popular em Revista, Campinas, ano 1, v. 2, p. 172-96, jan.-jun. 2013.
PDF

GROPPO, Luís Antonio. O rock e a formação do mercado de consumo cultural juvenil. A participação da música pop-rock na transformação da juventude em mercado consumidor de produtos culturais, destacando o caso do Brasil e os anos 80. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Campinas: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 1996.

GROSSBERG, Lawrence. Dancing in Spite of Myself: essays on popular culture. Durham/London: Duke University Press, 1997.

GROWN, Kory. Heavy Metal: from hard rock to extreme metal. Vercelli (Itália): White Star Publishers, 2012

GRUDE, Torstein. Satan rides the media. Noruega, 1999. Filme documentário.

GUERRA, Paula; MOREIRA, Tânia. Keep it Simple, Make it Fast! An approach to underground music scenes. Volume 1. Porto: Universidade do Porto. Faculdade de Letras, 2015.
PDF

GUERREIRO, Goli. Retratos de uma tribo urbana: rock brasileiro, Salvador, UFBA.1994

GUERREIRO, Goli. Retratos de uma tribo urbana: rock brasileiro. Salvador: Centro Editorial e Didático da UFBA, 1994.

HALNON, Karen. Heavy metal carnival and dis-alienation: The Politics of Grotesque Realism. Symbolic interaction ̧Illionois (EUA), v.29, n.1, p. 33-48. Inverno de 2006

HARRISON, Leigh M. Factory music: how the industrial geography And working- class environment of post-war Birmingham fostered the birth of heavy metal. In: Journal of Social History, George Mason University, Virginia (EUA), fall 2010, p.145-158

HEBDIGE, Dick. Subcultura: el significado del estilo. 1 ed. em espanhol. Barcelona: Ediciones Paidós Ibérica, 2004.

HEBDIGE, Dick. Subculture: the meaning of the style. London: Routledge, 1979.

HEIN, Fabien. Hard rock, heavy metal, metal: histoire, cultures, praticants. Paris, Mélanie Séteur, 2004.

HELAL, Diogo Henrique; PIEDADE, Adriana Ferreira. Modernos ou pós-modernos? Um estudo exploratório sobre o comportamento de consumo dos emos em Belo Horizonte. comunicação, Mídia e Consumo. São Paulo, Vol. 7, No. 18, p. 171-192, mar., 2010.
PDF

HODKINSON, Paul; DEICKE, Wolfgang. Youth subcultures: scenes, subcultures and tribes. Nova York: Taylor & Francis Group, 2007.

HODKINSON, Paul. Goth: identity, style and subculture. Nova York: Berg, 2002.

HUTCHERSON, Ben; HAENFLER, Ross. Musical genre as gendered process: authenticity in extreme metal. Studies in Symbolic Interaction, Vol. 35, p. 101-121. Emerald Group Publishing Ltd.
PDF

ISHMAEL, Amelia et aly (Ed.). Helvete: a journal of Black Metal Theory. Winter 2013. Disponível em http://helvetejournal.org
(Item restrito por causa de Direitos Autorais)

JACQUES, Tatiana de Alencar. 2007. Comunidade Rock e Bandas Independentes de Florianópolis. Monografia de Graduação. Florianópolis: UESC.

JACQUES, Tatyana de Alencar. Comunidade rock e bandas independentes de Florianópolis: uma etnografia sobre socialidade e concepções musicais. Dissertação de mestrado, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2007.

JACQUES, Tatyana de Alencar. Comunidade Rock: Visões de mundo e categorias musicais. Revista Música e Cultura, no. 5.
PDF

JANCHAR, Timothy; MILZMAN, David; SAMADDAR, Chris. The mosh pit experience: emergency medical care for concert injuries. The American Journal of Emergency Medicine, vol. 18, issue 1, p. 62-63, 2000.

JANOTTI JR, Jeder. 666 The Number of the Beast: alguns apontamentos sobre a experiência simbólica a partir das letras, crânios, demônios e sonhos do heavy metal. Textos de Cultura e Comunicação. Salvador: Facom/UFBA, n. 39, p. 97-112. Dez. 1998.

JANOTTI Jr, Jeder. Aumenta que isso aí é Rock and Roll: mídia, gênero musical e identidade. Rio de Janeiro: E-papers, 2003.

JANOTTI Jr, Jeder. Dos gêneros musicais aos cenários musicais: uma viagem da Cidade de Deus à Lapa a partir das canções de MV Bill e Marcelo D2. In: Anais do XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Rio de Janeiro, 2005c.

JANOTTI Jr, Jeder. Por uma análise midiática da música popular massiva: uma proposição metodológica para a compreensão do entorno comunicacional, das condições de produção e reconhecimento dos gêneros musicais. In: Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, 2006.
PDF

JANOTTI Jr, Jeder. Dos gêneros textuais, dos discursos e das canções: uma proposta de análise da música popular massiva a partir da noção de gênero midiático. In: XIV COMPÓS. Rio de Janeiro: UFF. Anais da COMPÓS. 2005a.

JANOTTI Jr, Jeder. Heavy Metal com Dendê: Rock pesado e mídia em tempos de globalização, Rio de Janeiro, Editora Papers, 2004.

JANOTTI Jr, Jeder. Heavy Metal e Mídias: das comunidades de sentido aos grupamentos urbanos. 2002. 367 f. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, Rio Grande do Sul.

JANOTTI Jr, Jeder. Por uma abordagem mediática da canção popular massiva. E-compós. Agosto, 2005b. Acesso em 22 de agosto de 2005

JANOTTI JR., Jedder; LIMA, Tatiana Rodrigues; PIRES, Victor de Almeida Nobre (Org.). Dez anos a mil: Mídia e Música Popular Massiva em Tempos de Internet. Porto Alegre: Simplíssimo, 2011.
PDF

JANOTTI JR., Jéder S. Música Popular Massiva e Comunicação: um universo particular. Trabalho apresentado no VII Encontro dos Núcleos de Pesquisa em Comunicação – NP Comunicação e Culturas Urbanas.
PDF

JANOTTI JR., Jéder S. Heavy metal: o universo tribal e o espaço dos sonhos. Dissertação (Mestrado) Depto. de Comunicação Social, Programa de Mestrado em Multimeios, Unicamp. Campinas, 1994.

JANOTTI JR., Jeder. À procura da batida perfeita: a importância do gênero musical para a análise da música popular massiva. ECO-PÓS- v.6, n.2, agosto-dezembro 2003, pp.31-46.
PDF

JANOTTI JR., Jeder. Midia, musica popular massiva e generos musicais: a produção de sentido no formato canção a partir de suas condições de produção e reconhecimento. XV Encontro da Compós (Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação.), na Unesp, Bauru, SP, em junho de 2006.
PDF

JARDIM JUNIOR, Nilton Silva. “Infinita Highway: rockzines e democratização da internet”. Congresso da ANPPOM, 2007. http://www.anppom.com.br/anais/anaiscongresso_anppom_2007/etnomusicologia/etno/m_NSJJunior.pdf. Accesso em 20/09/2009.

JARDIM JUNIOR, Nilton Silva. “Underio.net: Redes de solidariedade nos eventos underground a partir do Rato no Rio”, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Mestrado – Música, 2007.

JONES, Steve. Rock Formation. Music, Technology, and Mass Communication. Newbury Park: Sage Publications, 1992.

KAHN HARRIS. Metal beyond metal: what happens next? Keynote paper for Heavy Metal and Popular Culture Conference, abril, 2013, Bowling Green University.
PDF

KAHN-HARRIS, K. Roots?: The Relationship Between the Global and the Local Within the Global Extreme Metal Scene. Popular Music. Volume 19, n. 01, pp. 13 – 30, 2000.

KAHN-HARRIS, K. Transgression and mudanity: the global extreme metal music scene. 2001. 260 f. Tese (Doutorado em Sociologia) – GoldsmithsCollege, University of London, London.

KAHN-HARRIS, K.. The Failure of Youth Culture: Music, Politics and Reflexivity in the Black Metal Scene. European Journal of Cultural Studies. Volume 07, n. 01, pp. 95 – 111, 2004.

KAHN-HARRIS, Keith. Extreme Metal: Music and Culture on the Edge. Oxford: Berg Publishers, 2007.

KAHN-HARRIS, Keith. The Aesthetic of ‘Hate Music’. 2004.

KEMP, Kênia. “Grupos de Estilo Jovens: O ‘Rock Underground’ e as práticas (contra) culturais dos grupos ‘punk’ e thrash’ em São Paulo.” Campinas: UNICAMP, 1993

KENNEALLY, T. Conga Din Sepultura – Sepultura pays loud homage to the music of its native Brazil. Guitar world, abril 1996. Disponível em: . Acesso em 03 ago.2004.

KIRK, Shawn. Prodigal prodigy: virtual virtuosity parallels in the incorporation of classical music into rock and heavy metal.

KLYPCHAK, Bradley C. Performed identities: heavy metal musicians between 1984 and 1991. Tese (doutorado) Green State University, Department of Philosophy, 2007.

KONOW, David. Bang your head : The rise and fall of heavy metal, New York, Three Rivers Press, 2002.

LAPOUJADE, David. Em tudo o que faço, eu procuro ser muito Rock and Roll. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2013.

LAU, Tori Johanne. Jump!’ - Aggression, dance and gender roles: a reading of mosh pit culture. Dissertação (Mestrado em Musicologia) - University of Oslo, Oslo, 2005.

LEÃO, Carolina Carneiro. A maravilha mutante : batuque, sampler e pop no Recife dos anos 90. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-gradução em Comunicação, 2002.
PDF

LEÃO, Carolina. A negociação Manguebeat: cultura pop, mídia e periferia no recife contemporâneo”. In: Eco- pós, v.6 n.2, agosto – dezembro, p. 95 -111, 2003.

LEÃO, Fabiana de Souza (2007), “O fenômeno pós-mangue na cena musical pernambucana”, Universidade Federal de Pernambuco, Mestrado – Administração. http://www.bdtd.ufpe.br/tedeSimplificado//tde_busca/arquivo.php?codArquivo=4091. Accesso em 20/09/2009.

LEÃO, Tom. Heavy Metal: Guitarras em Fúria, São Paulo: Editora 34, 1997.

LEITE LOPES, P.A. Esse povo de preto: o heavy metal e a estética de uma outra “negritude”. Porto Alegre, 2007.

LEVINE, Mark. Headbanging against repressive regimes: Heavy metal in the Middle East, North Africa, Southeast Asia and China. Copenhagen: Freemuse, 2009.

LIMA, Tatiana. Mangueabeat – da Cena ao álbum: performances midiáticas de Mundo Livre S/A e Chico Science & Nação Zumbi. Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas. Salvador: FACOM/UFBA, 2007.
PDF

LIMA, Tatiana. Música e mídia: Notas sobre o Manguebeat no circuito massivo. Faculdade Social da Bahia, BA, 2007. Disponível em: - Acessado em 01/02/2012.

LOPES, C. Guerrilha! A história da Dorsal Atlântica. Rio de Janeiro: Beat Press Editora, 1999.

LOPES, Paulo Eduardo. A desinvenção do som: leituras dialógicas do tropicalismo. Campinas, SP: Pontes, 1999.

LOPES, Pedro Alvim L. Esse povo de preto: o heavy metal e a estética de uma outra negritude. In: Anais do VII REUNIÃO DE ANTROPOLOGIA DO MERCOSUL. Porto Alegre: UFRGS, 2007.

LOPES, Pedro Alvim L. Heavy metal na cidade do Rio de Janeiro. In: XXIII ENCONTRO DA ABA – Associação Brasileira de Antropologia, Olinda, 2004.

LOPES, Pedro Alvim L. Heavy Metal no Rio de Janeiro e Dessacralização de símbolos religiosos: a música do demônio na cidade de São Sebastião das Terras de Vera Cruz. Tese (Doutorado em Antropologia Social), Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2006.
PDF

LOPES, Pedro Alvim L. Hell de Janeiro: heavy metal e choques culturais na cidade do Rio de Janeiro. In: Experiências musicais. Fortaleza: Prefeitura Municipal de Fortaleza/EDUECE, 2008. pp. 202-216. Francisco José Gomes Damasceno, Amaudson Ximenes Veras Mendonça (orgs.).

LOPES, Pedro Alvim L. Mundo heavy metal no Rio de Janeiro. In: VELHO, Gilberto. Rio de Janeiro: metrópole, cultura e conflito. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2007. p. 156-190.

LUCENA, Luiz Carlos. Rock, Sonho & Revolução: A música contando a história dos anos 60. Editora Sampa, 2001. Disponível em: - Acessado em 11/05/11.

LUVIZOTTO, André Luiz; FURLANETE, Fábio Parra; MANZOLLI, Jônatas. Microfonia e distorção na guitarra sob a ótica de Waveshaping”. In: CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA (ANPPOM), 2006, Brasília. Anais... Brasília, 2006. p. 262-267.

MAFFESOLI, M. A parte do diabo. Rio de Janeiro: Record. 2004.

MAFFESOLI, M. O Tempo das Tribos. Rio de Janeiro: Forense universitária. 2002.

MAGNANI, J. G. C. Festa no pedaço. São Paulo: brasiliense. 1984.

MARCHETTI, Paulo. O Diário da Turma 1976-1986 História do Rock de Brasília. Ed. Conrad, 2001.

MARTÍNEZ, Silvia. Heavies: ¿una cultura de transgresión?. Revista de Estudios de Juventud. La Rioja (ESP), n.64, 2004. p. 75-86

MASCIANDARO, Nicola. Hideou Gnosis: Black Metal Theory Symposium 1.
PDF

MATTOS NETO, Alberto Costa. Rock: a retro-alimentação de uma configuração artística contemporânea. Monografia de bacharelado em História, IFCS, UFRJ. Rio de Janeiro, setembro de 2000, ms.

McCAIN, Gillian. McNEIL, Legs. Mate-me por favor – A história sem censura do Punk. São Paulo: L&PM, 2000.

MCCANN, Bryan. Hello, hello Brazil: popular music in the making of modern Brazil. Durham, NC: Duke University Press, 2004. ISBN 0-8223-3273-6.

MClVER, Joel. Sabbath bloody Sabbath. São Paulo: Madras, 2012. Tradução Teodoro Lorent.

MEDEIROS, Abda de Souza. Cosmologias do Rock em Fortaleza”. Dissertação de Mestrado defendida junto ao Programa de Pós- Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Ceara, 27 de junho, Fortaleza, Ceara, 2008.

MEDEIROS, Abda de Souza. O espetáculo dos “metaleiros” em Fortaleza: cenários e encenações corporais. Monografia (Graduação em Ciências Sociais) – Universidade Federal do Ceará, 2004.

MEDEIROS, Abda de Souza. Entre a "terra do sol" e a "cidade maravilhosa": rotas, desvios e torneios de valor nos circuitos do rock metal. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós Graduação em Sociologia, 2014.
PDF

MENDONÇA, Amaudson Ximenes Veras. A Música Underground em Fortaleza: resistência ou crise de identidade. Fortaleza: Do it your self editora,1999.

MENDONÇA, Amaudson Ximenes Veras. História e realidade das bandas de rock do Parque Araxá. In: ForCaos: muito além do sexo, drogas e rock and roll. Música(s), Cultura(s) e Contemporaneidade (s) Juveni(I)s. Francisco José Gomes Damasceno, Amaudson Ximenes Veras Mendonça (orgs.). Fortaleza: EdUECE, 20007, pp. 61-73.

METAL: a headbanger's journey. Produção e direção de Sam Dunn. A Banger Productions 2006. 1 disco digital versátil (94 min.), DVD, son., color.

MIDDLETON, Richard. Reading Pop: approches to textual analisys in popular music. Oxford: USA Professional, 2000.

MIDDLETON, Richard. Studying Popular Music. Philadelphia: Open University Press, 1990.

MIDDLETON, Richard. Studying Popular Music. Philadelphia: Open University Press, 1990.

MOISES NETO. Análise da dissertação de Daniel Sharp sobre a Nova Cena Recifense.
PDF

MOORE, Allan F. (2004) Rock: The primary text: Developing a musicology of rock. Ashgate Publishing Limited.

MOORE, Ryan. Alternative to what? Subcultural capital and the commercialization of a music scene. Deviant Behavior. Londres, v.26, n.3, p.229- 252. Mai-jun. 2005

MOORE, Ryan. Sells like teen spirit: Music, Youth Culture, and Social Crisis. NYU Press. 2010

MOORE, Ryan. The Unmaking of the English Working Class: Deindustrialization, Reification and the Origins of Heavy Metal. In: BAYER, Gerd (ed.) Heavy Metal Music in Britain. Farnham (ING): Ashgate, 2009. 201 p.

MOREIRA, José Gledson da Silva. Headbangers na Igreja: O nascimento da cena do Metal Cristão na cidade de Fortaleza com a chegada do CMF (Christian Metal Force) 1999/2001. Quixadá, 2013. 59p. Monografia (Licenciatura Plena em História). Faculdade de Educação, Ciências e Letras do Sertão Central (FECLESC), Universidade Estadual do Ceará (UECE).

MOTTA, Nelson. Noites tropicais: solos, improvisos e memórias musicais. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

MOYNIHAM, Michael e SODERLIND, Didrik. Lords of chaos : the bloody rise of the satanic metal underground. Feral House,1997.

MOYNIHAN, M. e SODERLIND, D. Lords of chaos. Los Angeles: feral house. 1998.

MUDRIAN, Albert. Precious Metal. Decibel Presents the Stories Behind 25 Extreme Metal Masterpieces. Philadelphia: Da Capo Press, 2009.
(Item restrito por causa de Direitos Autorais)

MUGGIATI, R. Rock: Da utopia à incerteza (1967-1984). São Paulo: Brasiliense, 1985.

MUGGIATI, Roberto. História do Rock. São Paulo: Editora Três, 1983. 4v.

MUGGIATI, Roberto. O Grito e o Mito. Petrópolis: Vozes, 1973.

MUGGLETON, David; WEINZIERL, Rupert. The post-subcultures reader. 1 ed. Oxford: Berg, 2003.

MUGGLETON, David. Inside Subculture: The Postmodern Meaning of Style. 2 ed. Oxford: Berg, 2002.

MURPHY, John P. Self-discovery in Brazilian popular music: Mestre Ambrósio. In: PERRONE, Charles A.; DUNN, Christopher (Ed.). Brazilian Popular Music and Globalization. Gainesville: University Press of Florida, 2001, p. 245-257.

MUSTAINE, Dave, LAYDEN, Joe. Mustaine: memórias do Heavy Metal. São Paulo: Benvirá, 2013. Tradução Marcelo Barbão.

NAKAMURA, Sandra. Machinassiah: heavy metal, alienação e crítica na cultura de massa. São Dissertação (mestrado), Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, 2009.

NASCIMENTO, Francisco Gerardo Cavalcante do. A estética MangueBit: Uma mutação na indústria cultural brasileira na década de 1990. In: Experiências Musicais. Fortaleza: EdUECE, 2008.

NAVES, Santuza Cambraia; COELHO, Frederico Oliveira; BACAL, Tatiana; MEDEIROS, Thais. Levantamento e comentário crítico de estudos acadêmicos sobre música popular no Brasil. ANPOCS bib – Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais 51, São Paulo, 1 o . semestre de 2001.
PDF

NETO, Moisés (s.d.), “Chico Science, Zeroquatro & Faces do Subúrbio: A cena recifense”, http://www.moisesneto.com.br/sciencezeroquatrofaces.pdf. Accesso em 20/09/2009.

NEVES, Ezequiel. Barão Vermelho: Por que a gente é assim. São Paulo. Editora Globo. 2007.

NUNES, Tony Ramires Aguiar. “Bem-vindo ao inferno”: Juventude, música e estética em Fortaleza na década de 1990. Monografia (Licenciatura Plena em História), Universidade Estadual do Ceará, 2012.

O’CONNOR, Alan. 2002. ‘Local Scenes and dangerous Crossroads: Punk and Theories of Cultural Hybridity’. Popular Music 21 (2): 225-36.

OLIVEIRA JÚNIOR, Marcos Vinicius de. Do Underground ao Mainstream: uma etnografia do Heavy Metal em Brasília. Monografia de Graduação. Brasília: UnB, 2011.
PDF

OLIVEIRA, Cassiano Francisco Scherner de. O criticismo do rock brasileiro no jornalismo de revista especializado em som, música e juventude: da Rolling Stone (1972-1973) à Bizz (1985-2001). Tese (Doutorado) Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Faculdade de Comunicação Social, PUCRS, 2011.
PDF

ORNELAS, P. Rock Underground: uma etnografia do rock alternativo. São Paulo: Radical Livros, 2007.

PACHECO, Leornardo T. “Som de Macho”: uma reflexão sobre identidade, masculinidade e alteridade entre os headbangers. Texto apresentado ao GT Gênero e Juventude, UFMG, s.d.

PALHA, Elisa. Gritos do Inferno: estética sonora e visual do Heavy Metal. Monografia de bacharelado em Comunicação Social, PUC. Rio de Janeiro, 2005

PALMER, Robert. The church of the sonic guitar. In: Present tense: rock & roll and culture. London: Duke University Press, 1992. Edited by Anthony DeCurtis.

PERRONE, Charles A. 1990. ‘Changing of the Guard: Questions and Contrasts of Brazilian Rock Phenomena’. Studies in Latin American Popular Culture 9: 65-83.

PERRONE, Charles A., and Christopher Dunn. 2001. ‘ ‘‘Chiclete com Banana’’: Internationalization in Brazilian Popular Music’. In Brazilian Popular Music and Globalization, edited by Charles A. Perrone and Christopher Dunn, 1#38. Gainesville, Fl.: University Press of Florida.

PERRONE, Charles A.; DUNN, Christopher (Ed.). Brazilian Popular Music and Globalization. Gainesville: University Press of Florida, 2001.

PHILLIPS, William; COGAN, Brian. Encyclopedia of heavy metal music. Westport, Connecticut: Greenwood Press, 2009.
PDF

PICCOLI, Edgard. Que rock é esse? A história do rock brasileiro contada por alguns de seus ícones. Editora Globo, São Paulo, SP, 2008.

PILLSBURY, Glenn T . Damage incorporated: Metallica and the production of musical identity. Nova York: Taylor & Francis, 2006.

PILLSBURY, Glenn T. This Ain't the Summer of Love: Conflict and Crossover in Heavy Metal and Punk. 1 ed. California: University of California Press, 2009.

PRYSTON, Ângela (2004), “Diferença, pop e transformações cosmopolitas no Recife a partir do movimento mangue”, Revista Fronteiras – estudos midiáticos, v. VI, n. 1, p. 33-46, janeiro – junho.

PURCELL, Natalie J. Death metal music: the passion and politics of a subculture. Jefferson (EUA) ; McFarland, 2003.

RIBEIRO, Getúlio (2007), “Do tédio ao caos, do caos à lama : os primeiros capítulos da cena musical Mangue, Recife - 1984-1991”, Universidade Federal de Uberlândia, Mestrado – História, http://www.bdtd.ufu.br//tde_busca/arquivo.php?codArquivo=932. Accesso em 20/09/2009.

RIBEIRO, Hugo L. Da Fúria à Melancolia: a dinâmica das identidades na cena rock underground de Aracaju. São Cristóvão: Editora UFS; Aracaju: Fundação Oviêdo Teixeira, 2010.
PDF

RIBEIRO, Hugo L. Dinâmica das identidades – Análise estilística e contextual de três bandas de metal da cena rock underground de Aracaju. (Tese de Doutorado) Programa de Pós-graduação em Música, UFBA, 2007.
PDF

RIBEIRO, Hugo. Notas preliminares sobre a cena rock underground de Aracaju-SE. Anais do V Congresso Latinoamericano da Associação Internacional para o Estudo da Música Popular (IASPM), 2004.
PDF

RIBEIRO, Lúcio. Sepultura. In: NESTROVSKI, Arthur (Org.). Música popular brasileira hoje. São Paulo: Publifolha, 2002.

RIBEIRO, Sandra Stephanie Holanda Pontes. Góticos da noite de Fortaleza: distinções e pertencimentos na construção de si. Monografia (Bacharelado em Ciências Sociais) – Universidade Federal do Ceará, 2012.

RICHIES, Gabrielle. Embracing the chaos: mosh pits, extreme metal music and liminality. Journal for Cultural Research, v. 15, n. 3, p. 315-332, 2011.

ROCCOR, Bettina. “Heavy Metal: forces of unification and fragmentation within a musical subculture” . The World of Music, n. 42, v.1, 2000, pp. 83-94.

ROCHEDO, Aline do Carmo. “Os filhos da revolução”: A juventude urbana e o rock brasileiro dos anos 1980. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal Fluminense, História, 2011.
PDF

ROCHEDO, Aline do Carmo. BRock: O Ensino de História por meio do rock brasileiro nos anos 1980. Anais do XV Encontro Regional de História da ANPUH-Rio.
PDF

RODDY, Derek. The evolution of blast beats. USA: Hudson Limited, 2007.

RODRIGUES, Fernanda Gomes. O Grito das Garotas. Dissertação aprovada como requisito parcial à obtenção do grau de Mestre no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. Universidade de Brasília, 2006. Disponível em: - Acessado em 16/05/11

RODRIGUES, Rodrigo. As aventuras da Blitz. Rio de Janeiro: Ediouro, 2008.

ROMMEN, Timothy. 2007. ‘‘‘Localize it’’: Rock, Cosmopolitanism, and the Nation in Trinidad’. Ethnomusicology 51 (3): 371-401.

ROSA, Fernando (‘Senhor F’). 2006. ‘A Origem do Rock Brasiliense’. Part 3. http://www.senhorf.com.br/rockdebrasilia (accessed 17 November 2011).

RUÍDO das Minas. A origem do heavy metal em Belo Horizonte. Direção Gracielle Fonseca; Filipe Sartoreto; Rafael Sette Câmara. 2009. 1 disco digital versátil (83 min.), DVD, son., color.

SALDANHA, Rafael Machado. Rock em Revista: o jornalismo de rock no Brasil. Juiz de Fora: UFJF, 2005. 70 f. Dissertação, Faculdade de Comunicação, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2005.

SALDANHA, Rafael Machado. Rock em revista: O jornalismo de rock no Brasil. Monografia (Graduação)-Faculdade de Comunicação, Juiz de Fora: UFJF; Facom, 2005.
PDF

SANDRONI, Carlos. O mangue e o mundo: notas sobre a globalização musical em Pernambuco. Claves No. 7 - Maio de 2009.
PDF

SANTOS Neves, José Roberto. Rockrise: a história de uma geração que fez barulho no Espírito Santo. Vitória: Do Autor, 2012.

SANTOS, Taís Vidal dos. O true contra o poser: um estudo das condições e contradições de ser e fazer metal underground na cidade do Salvador. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, 2013.
PDF

SANTOS, Jefferson Dantas. Roadi Crew: discurso e tradição. II Seminário de estudos culturais, identidades e relações interétnicas estudos culturais e a pesquisa em suas múltiplas possibilidades.
PDF

SANTOS Jr., Ivanildo P. dos; COLOMBO, Macri Elaine. O Rock errou... A ascensão e queda (e o eventual retorno) do rock nas rádios brasileiras. XXXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Intercom (Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação), Manaus, AM, 2013
PDF

SCOTT, Neal. Heavy metal and the deafening threat of the apolitical. Popular Music History, Sheffield, vol. 6, n.1, p. 124-135, 2011.

SEIXAS, Luana; PISSOLATO, Elizabeth. Música e Extravasamento: festa como perspectiva, juventudes e heavy metal em Juiz de Fora-MG. ANTHROPOLÓGICAS Ano 19, 26(1):134-158, 2015.
PDF

SEMÁN, P ; VILA, P. Rock chabón e identidad juvenil en la Argentina neoliberal en los noventa: política, sociedad y cultura en América Latina y Argentina de fin de siglo. Buenos Aires: Eudeba, 1999.

SENRA, Flavio P. A antropofagia heavy metal: a resistência brasileira ao discurso colonial na música pesada e na literatura. Revista Garrafa (PPGL/UFRJ),Rio de Janeiro, v. 1, p. 1-13, 2008.
PDF

SENRA, Flavio P. Visões do sujeito Pós-Moderno na música pesada contemporânea (sujeito e objeto: uma relação de amor e ódio...). Raído, Mato Grosso do Sul, v. 3, p. 153-165, 2009.

SENRA, Flavio Pereira. “Amanhã nunca mais!”: o niilismo e o heavy metal no contexto pós-moderno. Via Litterae, Anápolis, v. 5, n. 2, p. 485-507, jul./dez. 2013. http://www2.unucseh.ueg.br/vialitterae
PDF

SHOOMAN, Joe. Bruce Dickinson: Os altos voos com o Iron Maiden e o voo solo de um dos maiores músicos do heavy metal. Belo Horizonte: Editora Gutemberg, 2013. Tradução Eliel Vieira.

SHUKER, Roy. Beyond the “high-fidelity” stereotype: defining the (contemporary) record collector. Popular Music. Volume 23, n. 03, pp. 311 – 330, 2004.

SHUKER, Roy. Understanding Popular Music. 2 ed. Routledge: Londres, 2001.

SHUKER, Roy. Vocabulário de Música Pop. São Paulo: Hedra, 1999.

SHUSTERMAN, Richard. Vivendo a Arte: o pensamento pragmatista e a estética popular. São Paulo: Editora 34, 1998.

SILVA, Anna Paula de Oliveira Mattos. O encontro do Velho do Pastoril com Mateus na Manguetown, ou As tradições populares revisitadas por Ariano Suassuna e Chico Science. 2004. 155 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Departamento de Letras, PUC-RJ, 2004.

SILVA, Jaime Luis da. O heavy metal na revista Rock Brigade: aproximações entre jornalismo musical e identidade juvenil. Dissertação (Mestrado)-Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós Graduação em Comunicação e Informação, Porto Alegre, 2008. Disponível em: . Acesso em: 25 Out. 2011.
PDF

SILVA, Jaime Luis da. Muito além do barulho: uma aproximação sobre a identidade do heavy metal representada na revista Rock Brigade.
PDF

SILVA, Bernard Arthur Silva da. Mundo metálico belenense e política cultural: declínio e reorganização do heavy metal paraense (1993-1996). Dissertação (Mestrado)-Universidade Federal do Pará, Programa de Pós Graduação em História Social da Amazôniza, Belém, 2014.
PDF

SILVA, Wlisses James de Farias. Heavy Metal no Brasil: Os incômodos perdedores (década de 1980). Tese de Doutorado em (História Social) da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo do Programa de Pós-Graduação em História.
PDF

SIMON, Bradford S. Entering the pit: slam-dancing and modernity. Journal of Popular Culture, publicado online, v. 3, fascículo 1, p. 149- 176, 1997.

SIRINO, Caio C. de Aguiar. Heavy Metal Brasil na década de 1980: a rebelião headbanger nos subterrâneos da modernidade. Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Letras: Cultura, Educação e Linguagens da Univ. Estadual do Sudoeste da Bahia. Vitória da Conquista- BA, 2012.
PDF

SMIALEK, Eric T. Genre and Expression in Extreme Metal Music, ca. 1990–2015. Tese (Doutorado) - Schulich School of Music, McGill University, 2015.
PDF

SMIALEK, Eric T. Rethinking Metal Aesthetics: Complexity, Authenticity, and Audience in Meshuggah’s I and Catch Thirtythr33. Dissertação (Mestrado) - Schulich School of Music, McGill University, 2008.
PDF

SNELL, Dave, and DARRIN Hodgetts. Heavy Metal, Identity and the Social Negotiation of a Community of Practice. Journal of Community & Applied Social Psychology, n.17, p.430-445, 2007.

SOLOMON, Tomas. Living underground is tought: autencity and locality in the hip-hop community in Istambul, Turkey. Popular Music. 2005, volume 04, n.01, pp.01-20. 2005.

SOUSA, Juliane Soares de. As mulheres do underground cristão: Um olhar sobre o grupo evangélico Metanoia. Trabalho apresentado para a disciplina Tópicos Especiais de História Oral no Departamento de Ciências Humanas – Curso de História (UERJ), s.d.

SOUZA, Antônio Marcus Alves de. Cultura, rock e arte de massa. Rio de Janeiro: Diadorim, 1995.

SOUZA, Cláudio Morais de. Da lama ao caos: a construção da metáfora mangue como elemento de identidade/identificação da cena mangue recifense. 2002. 114 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal de Pernambuco, 2002.

SOUZA, Wanderson Alkimim Batista de. Heavy Metal em Montes Claros: Aspectos Socioculturais. Montes Claros/MG: Unimontes, 2013. (Monografia de Conclusão do Curso de Licenciatura em Artes-Música).

STONER, Guilherme. O mosh e suas celebrações: algumas interpretações e significados das expressões corporais nos shows de heavy metal na cidade de São Paulo. 2014. 58f. Monografia (Conclusão de curso) - Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos, 2014.
PDF

STRATTON, Jon. Jews, punk and the Holocaust: from the Velvet Underground to the Ramones – the Jewish-American story. Popular music. Volume 24, n. 01, pp. 79 – 105, 2005.

STRAW, W. Characterizing rock music culture: the case of heavy metal In DURING, S. (org) The Cultural Studies Reader. New York: Rutledge. 1993.

STRAW, Will. Systems of Articulation, Logics of Change: communities and scenes e popular music. In: The Cultural Studies Reader. London: Routledge, volume 05, n. 03, October 1991.

TAYLOR, Laura. Metal Music as Critical Dystopia: Humans, Technology and the Future in 1990s Science Fiction Metal.Brock University.St.Catharies, Ontario.2006.

TEIXEIRA, Gisela Cardoso. Roadie Crew: uma análise do heavy metal como notícia. Monografia (Conclusão de curso) - Universidade Federal de Ouro Preto, Departamento de Ciências Sociais, Jornalismo e Serviço Social, 2014.
PDF

TELES, José. Do Frevo ao Manguebeat, São Paulo: Editora 34, 2000.

TEMPLE, Julie. The Filth and the Fury. Film Four, 2000. Filme documentário.

TROTTA, Felipe C. . Música e mercado: a força das classificações. Revista Contemporanea, Salvador, BA, v. 2, n. 2, p. 181-196, 2005.
PDF

VALESCA, Antônio. Max Cavalera: la voz de los sin voz. Barcelona: Quarentena, 2010.

VARGAS, Aurélio Marinho. Roda de pogo: a dança punk. Jan 2005. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2013.

VARGAS, Herom. Hibridismos musicais de chico science & Nação Zumbi. Cotia Ateliê, 2007.

VASCONCELOS, Victor. Geografia do subterrâneo: um estudo sobre a espacialidade das cenas de Heavy Metal do Brasil. Novas Edições Acadêmicas, 2015.
(Item restrito por causa de Direitos Autorais)

VELHO, G. A. ; PICCOLO, F. D. ; BARRETO, A. S. ; COSTA, S. S. ; BENITEZ, M. E. D. ; LEITE LOPES, P. A. ; MAFRA, P. . “Mundo heavy metal no Rio de Janeiro”. In: Gilberto Velho (org.). Rio de Janeiro: cultura, política e conflito. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2007, p. 156-190.

VIANNA, Hermano. Rascunho de possível capítulo de tese sobre o Rock Brasileiro. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2010.

VICENTE, Eduardo. A Música Independente no Brasil: Uma Reflexão. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 28., 2005. Rio de Janeiro. Anais... São Paulo: Intercom, 2005. CD-ROM.

VIEIRA, Evandro. Esfolando Ouvidos: Memórias do Hardcore em Brasilia. Brası́lia: Self-published, 2005.

VILELA, Renata. Iron Maiden: a biografia ilustrada. São Paulo: Universo dos Livros, 2012.

VILLAÇA, Renato Costa. O rock e as bases de uma cultura musical pop. In: A passagem do som. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Universidade Federal de Minas Gerais, 2007.

VINIL, Kid. Almanaque do rock. Ediouro publicações, São Paulo, 2008.

WAKSMAN, Steve (2004). Metal, Punk and Motörhead – Generic crossover in the heart of the punk explosion. Echo: A Music-Centered Journal – Volume 6, Issue 2 (Fall 2004).

WALL, Mick. Iron Maiden: Run to the Hills: a biografia autorizada. São Paulo: Évora, 2014.

WALSER, Robert. “Eruptions: heavy metal appropriations of classical virtuosity”, in GELDER, Ken e THORNTON, Sarah, The subcultures reader, Londres, Routledge, 1997.

WALSER, Robert. Metallica In: SADIE, Stanley (ed). The New Grove Dictionary of Music and Musicians 2001, vol. 16, MacMillan Publishers Limited, p. 509.

WALSER, Robert. Running with the devil: Power, Gender, and Madness in Heavy Metal Music. Wesleyan University Press, 1993

WALZER, Nicolas (2007). Anthropologie du metal extreme. Rosières em Haye: Camion Blanc Editeur.

WANDERLEY, Maurício do Vale Dourado. A Cena Metal Aracajuana: Identidade e conflitos entre grupos antagônicos. Monografia (graduação) Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Ciências Sociais, 2008.
PDF

WEBER, Mateus Felipe. O Metal em Porto Alegre na Década de 1980: identidade, tribo e atuação espetacular. Monografia (Graduação)-Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de História, 2012.
PDF

WEINSTEIN, Deena. Heavy Metal: the music and its culture. Da Capo Press.
(Item restrito por causa de Direitos Autorais)

WEINSTEIN, Deena. The empowering masculinity of British heavy metal. In: BAYER, Gerd (ed.) Heavy Metal Music in Britain. Farnham (ING): Ashgate, 2009. 201 p.

WEINSTEIN, Deena. The globalization of metal. In. Metal Rules the Globe: Heavy Metal Music Around the World. WALLACH, Jeremy; GREEN, Paul, and BERGER, Harris. Londres: Routledge, 2011.

WHEELER, Jesse Samba and Rosa Virgı́nia Melo. 2006. ‘Brası́lia (Brazil): Hardcore Healthy’. In The Ethnomusicologists’ Cookbook: Complete Meals from around the World, edited by Sean

WHEELER, Jesse Samba. 2007. ‘Dark Matter: Towards an Architectonics of Rock, Place, and Identity in Brası́lia’s Utopian Underground’ . PhD Diss., University of California, Los Angeles.

WHEELER, Jesse Samba. 2008. ‘‘‘(Fuck the) USA’’: Rage, Distortion and the ‘‘furious Face’’ of Cosmopolitanism’. In Música, Ciudades, Redes: Creación musical e Interacción social [Music, Cities, Networks: Musical Creation and Social Interaction], edited by edited by Rubén Gómez Muns and Rubén López Cano. Salamanca, Spain: SIBE-Obra Social Caja Duero. Electronic archive.

WHEELER, Jesse Samba. 2012. Rock, Refrain and Remove: Hearing Place and Seeing Music in Brasília. Ethnomusicology Forum, 21(1):77-103.
PDF

WICKE, Peter. Rock music: culture, aesthetics and sociology. Nova Iorque: Cambridge University Press, 1993.

YORK, Will (2004). Voices from hell – the dark, not-so-dulcet Cookie Monster vocals of extreme metal. The San Francisco Bay Guardian – 14-20/julho, 2004 – vol.38, no.40.