Quem sou eu

Hugo Ribeiro

Quando comecei a elaborar essa Home Page, ainda não tinha idéia para quem, nem por que? É muito estranho falar de si próprio. No entanto, hoje em dia penso nela como um baú público de minhas vivências e lembranças. Hoje estou fazendo essa página pensando que daqui a trinta ou cinquenta anos, eu posso voltar e lembrar da minha adolescência musical. Meu filho também terá a oportunidade de conhecer um pouco a história do seu pai, assim como meus netos, amigos, os amigos dos amigos, etc...

Quem me conhece, sabe como eu tenho uma memória muito curta, logo, essa Home Page será tão útil para mim, como para qualquer outra pessoa.

Comecei meus estudos musicais informalmente no fim de 1990, ao ser questionado por minha mãe, se gostaria de tocar algum instrumento musical. Influenciado pelas bandas de rock que ouvia na época (Black Sabbath, Led Zeppelin, Metallica, Scorpions...), decidi estudar violão. Três meses depois comecei a estudar guitarra com Emanuel Serra (Serrote), que seria meu professor e amigo por muito tempo.

Em 1992 resolvi entrar no Conservatório de Música de Sergipe. Devo confessar que escolhi o violino somente por não haver  mais vagas para violão, permanecendo somente durante o ano de 92, tempo suficiente para aprender os elementos básicos de leitura musical.

Ainda em 1992 comecei a estudar violão popular com o prof. Alvino Argollo e participei do grupo de flauta doce do Colégio de Aplicação, como violonista acompanhante. Foi nesse ano que formei minha primeira banda, juntamente com meu amigo baterista Rafael Jr., a Outshine. Chegamos a gravar uma fita demo em 93, que serve hoje como lembrança de meus primeiros passos musicais.

Em 94 chega ao fim a banda Outshine mas, sem parar para descansar, formei outra banda com meu amigo e ex-aluno Cláudio chamada Woodgod. Por motivo de viagem do guitarrista (Daniel), a banda Snooze formada por ex-integrantes da Outshine me convida para substituí-lo numa apresentação da banda (convite este que se repetiria em outras oportunidades). Nesse ano tenho a oportunidade de assistir dois grandes guitarristas que iriam influenciar meu futuro. Primeiro, o Workshop com o guitarrista Frank Solari (até hoje todos se lembram da pergunta inocente:

"como você foi para os EUA?" e a resposta fadítica "- De avião", risos...). Em segundo, porém mais importante, um curso de harmonia com o guitarrista Alex Mesquita (ex-Pimenta N'Ativa e Daniela Mercury) que iria me ensinar os caminhos da harmonia básica (tríades e tétrades). Em julho sou convidado a assumir o lugar do guitarrista Marcus Vinícius na banda Maria Scombona que acompanha o cantor e compositor Henrique Teles, permanecendo com eles até o fim de 1999.

Hugo Ribeiro

Em 95 entrei para o curso de Composição e Regência na UFBA. Neste ano pude participar de um workshop com o pianista inglês Jason Rebello, na EMUS/UFBA, e depois assisiti ao show no teatro do Sesi. Um jazz tradicional com pitadas de funk e um cantor de Hip Hop junto com uma cantora de jazz. Maravilhoso. Nesse ano estudei composição com Amaro Borges. Em 96 comecei a estudar composição com Agnaldo Ribeiro e formei, junto com outros três alunos da turma de percepção II (Georgina Lemos) o Quarteto Azul de violões. Ainda em 96, fui convidado por Daniel Freire para gravar as partes de guitarra de uma demo da banda gospel Vida, e tocar no seu show de estréia.

Já no ano de 1997, fiz quatro shows na banda Calcinha Preta, substituindo meu colega Schiruder, e logo após fiz algumas apresentações de forró acompanhando o cantor Jorge Ducci. Foi a primeira vez que toquei forró. Mais ou menos nessa época gravei uma fita "demo" solo, que chegou a ser comentada na revista Guitar Player Brasil. Em agosto participei como guitarrista do Show da Companhia Daniella Faber, e em setembro comecei a tocar com Alex Sant`Anna. No dia 06 deste mesmo mês acontece o show de estréia da banda Sulanca, no teatro Atheneu. Continuei estudando composição com Agnaldo e Orquestração com Bordini.

Em maio de 1998, fui convidado a integrar a banda de forró Bando De Mulheres. Fui ótimo, pois a banda era excelente. Bruninho na Bateria, Gilson Batata no Baixo e Val nos Teclados. Nesse ano ainda fiz alguns shows na banda cover MR. MAGOO, e em setembro entrei na banda de Heavy Metal Warlord. Nesse ano eu estudei composição com Fernando Burgos.

Em 1999 fui contratado para lecionar violão no Conservatório de Música de Sergipe, onde também dei aula de Música Popular Brasileira e regi o Coral Jovem. No mês de junho organizei junto com a direção do Conservatório o I Curso De Férias Do Conservtório De Música De Sergipe. No segundo semestre desse ano organizei junto com outros alunos da Escola de Música da UFBA o Grupo De Compositores Atuais, que resultou em duas mostras de compositores. Nesse ano estudei composição com Ricardo Bordini. Em fevereiro de 2000, após deixar de lecionar no Conservatório, tive a idéia de fazer um projeto voltado para a música instrumental, que chamei de Projeto Novos Sons.

Durante os anos de 2000 e 2001 consegui organizar 6 edições. Depois cansei... Em julho organizei o I Curso De Férias De Música Popular, com os cursos de Baixo elétrico (Emanuel Jorge), Guitarra (Marcus Vinicius), Bateira (Rafael Jr.) e Harmonia (Eu mesmo). Em Novembro casei com minha atual esposa, Agatha Christie.

Em fevereiro de 2001 graduei-me em Composição pela Universidade Federal da Bahia, após o tempo mínimo de 6 anos, com a peça Apocalipse para orquestra coro e solistas, entrando nesse mesmo mês no curso de mestrado em Etnomusicologia. Ainda em fevereiro de 2001, nasceu meu filho Pedro Henrique. Após trocar o violino pela viola, ingressei como violista na Orquestra de Câmara da UFBA, regida e fundada pelo maestro Angelo Rafael. Neste mesmo ano também troquei a guitarra pelo teclado na banda Warlord, sendo substituído por João Paulo.

Hugo Ribeiro e Agatha Costa Ribeiro

Em 2002, participei do meu primeiro congresso, em Goiás, no qual apresentei um texto sobre minha dissertação de mestrado, As Taieiras de Sergipe. Foi um desastre. Fiz o concurso para professor substituto na UFBA, e dei aulas de percepção II, Literatura e Estruturação Musical I, Prática de Conjunto, e Improvisação III. Foi uma ótima experiência. Aproveitei para re-editar a tradução do O Estudo de Contraponto de Fux, traduzido por Jamary Oliveira, e dos primeiros capítulos do Harmonia Tonal de Kotska e Payne, também traduzido por Jamary. Participei também do I Encontro Nacional da ABET, em Recife. Volto a lecionar no Conservatório, só que dessa vez somente guitarra. Em fevereiro de 2003 eu defendi minha dissertação de mestrado e logo em seguida já estava me matriculando no doutorado. Na verdade eu fiz as provas para o doutorado antes mesmo de defender a dissertação. Em Agosto de 2003 comecei a fazer capoeira no grupo ABADA, e em dezembro me batizei como 'Cacique'.

Em 2004 eu participei do Congresso Latino-Americano da IASPM, e tive a oportunidade de fazer um curso com o Phillip Tagg. No começo do ano anuncio minha saida como instrumentista da banda Warlord. A partir de então eu ficaria somente como compositor, arranjador e uma espécie de diretor musical, além de estar sempre ajudando na equalização e mixagem dos shows.

Hugo Ribeiro